Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/18 às 13h46 - Atualizado em 11/12/18 às 13h46

Inaugurada nova Instalação de Recuperação de Resíduos aos Catadores

 

A segunda-feira,(10/12),foi dia de festa para muitos catadores que trabalhavam no lixão, desativado desde janeiro. Eles participaram da Cerimônia de inauguração da Instalação de Recuperação de Resíduos.

O governador Rodrigo Rollemberg descerrou a placa de inauguração do Galpão do SCIA, depois testou o funcionamento das esteiras de resíduos.

E constatou que a população ainda precisa colaborar com a coleta seletiva. O lixo seco, ainda vem em meio a alimentos.
“É preciso a colaboração de todos para sensibilizar a sociedade”, disse Rollemberg.

 

O lixão da Estrutural, como ficou conhecido o 2º maior do mundo, foi fechado pelo governador Rodrigo. O projeto deu um novo destino à reciclagem, com usinas de compostagem e viabilizou uma nova forma de coleta de resíduos. Inicicilamente os catadores foram treinados em galpões alugados.

O Galpão entregue hoje, custou quase R$ 6.000.000,00 , tem 3.800 metros quadrados de construção, abriga 4 esteiras com capacidade para seleção de 64 toneladas de resíduos e tem capacidade para 167 trabalhadores, nos dois turnos, podendo ampliar. Três cooperativas vão atuar nesse local. A inauguração contou com a presença de secretários de estado, a Diretora-Presidente do Serviço de Limpeza Urbana, Kátia Campos, e lideranças dos catadores.

 

A Secretária da Sedestmidh, Ilda Peliz, com a Fábrica Social e mediante parcerias, incentivou aos ex-catadores a capacitação em cursos de vestuários, moda praia, confecção de roupas de cama, camisetas para uso em atividades escolares e em práticas esportivas. A linha de microcrédito do Prospera, do governo do DF, foi apresentada como oportunidade de inserção no mercado de trabalho.

Josymara do Nascimento, uma das catadoras que participou da cerimônia pediu à população para que “mande coleta boa”, como chama o resíduo já separado.Josy, trabalhou como catadora por dez anos no antigo lixão. “Antes nós trabalhávamos no sol ou chuva, corríamos riscos para nossa saúde e agora temos toda a infraestrutura para trabalhar. Vamos ganhar mais e melhorar a vida. Eu tirava R$ 500,00 por semana. Agora, já consigo imaginar que será bem mais. Esse é um sonho que estamos realizando hoje” concluiu Josy.

 

Na sexta-feira próxima, (14/12), pela terceira vez, estará em Brasília uma comissão internacional. A Associação Internacional de Resíduos Sólidos- ISWA, sigla em Inglês, a maior Instituição mundial da área, vai trazer representantes de instituições formadas por sanitaristas e técnicos de campo. Eles vêm auxiliar e acompanhar todo o processo de readaptação dos catadores, principalmente as mulheres, após o fechamento do lixão.

O Governo do Distrito Federal e o SLU, na transição do fechamento, fizeram um cadastramento e por 12 meses criaram incentivos.

“Nós nos comprometemos a operar uma unidade de entulhos da construção civil, o funcionamento de um aterro sanitário e a inclusão dos ex- catadores como prestadores de serviço público em locais adequados”, disse Kátia Campos, Diretora do SLU.

 

O programa já foi reconhecido em outubro, na Malásia, com um prêmio entregue em Kuala Lumpur pela iniciativa do fechamento do lixão.

 

Por, Claudia Miani.