Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/11/18 às 16h13 - Atualizado em 28/11/18 às 16h15

PED: Taxa de desemprego em outubro alcançou 18,4%

 

A taxa de desemprego no Distrito Federal passou de 17,9% em setembro para 18,4% em outubro. A informação é da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada nesta quarta-feira (28), na sede da Secretaria Adjunta do Trabalho (Seatrab).

 

Já o número de ocupados diminuiu 0,9% e foi estimado em 1,36 milhão de pessoas em outubro — 12 mil a menos do que no mês anterior. Houve redução nos setores de serviços (-1,2%) e de construção (-3,2%).

 

Em análise por grupos de regiões administrativas, os dados apontam queda no índice de desemprego de regiões de baixa renda, que passou de 25,8% para 23,6%.

 

E os dados de posição na ocupação apontam que, em relação a setembro, a quantidade de assalariados no setor privado (0,3%) ficou relativamente estável em outubro e houve redução no setor público (-5,4%).

NÚMERO ESTÁVEL

No recorte que analisa os últimos 12 meses, a PED aponta que entre outubro de 2017 e outubro último, a taxa de desemprego total variou de 18,8% para 18,4%. O número ficou estável, em 308 mil pessoas desempregadas — resultado do crescimento do nível de ocupação na mesma quantidade da população economicamente ativa.

 

“As mulheres são mais de 50% do total de desempregados, além de jovens de 16 a 24 anos, que normalmente estão em busca do primeiro emprego e têm dificuldade de se inserir no mercado de trabalho”, revelou a coordenadora da PED no DF Adalgiza Amaral.

 

O estudo é realizado mensalmente no DF por meio de uma parceria entre a CODEPLAN, SEDESTMIDH, DIEESE e Fundação SEADE.

 

PROSPERA

Além da apresentação dos últimos números do emprego e desemprego, a Seatrab anunciou hoje o pagamento do último lote do PROSPERA – o programa de microcrédito do Governo do DF – em 2018.

Foram pagos nesta quarta R$ 700 mil reais para os empreendedores participantes do Programa. Ao longo de 2018, o Prospera injetou R$ 8,36 milhões em crédito. Foram R$ 5 milhões em cartas urbanas e R$ 3,6 milhões em cartas rurais.

 

Por: Rafael Secunho com Agência Brasília